Viaseg no 5º Congresso do SIESE -SC

22 de agosto de 2016

O SIESE-SC, Sindicato das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança, promoveu nesta quinta-feira (18/08) em Balneário Camboriú, o 5º Congresso Catarinense das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança.
O evento foi um grande sucesso, reunindo mais de 250 pessoas das principais empresas de Segurança Eletrônica do estado de Santa Catarina.

A grande participação de empresários e profissionais do setor reflete a força e a representatividade do SIESE-SC, que tem atuado nos últimos anos na luta dos interesses do seu setor e de seus associados.

Destaque também para as palestras realizadas, profissionais especializados no segmento de segurança eletrônica foram os responsáveis por abordar diferentes temas, compreendendo assuntos das áreas comercial, técnica e jurídica.

 

O Presidente do SIESE-SC, Jackson Ristow falou “esse foi o maior número de participantes de nosso Congresso, que já está em sua 5ª edição. É gratificante poder contar com o apoio de nossos associados e de nosso mercado, isso mostra que estamos no caminho certo, indo além da representação de mais de 100 empresas, mas contribuindo para a capacitação do setor como um todo. E o SIESE-SC é isso, uma instituição de todo o mercado. Destaco ainda a participação de muitas regiões, Criciúma, Florianópolis, São Paulo, Paraná e tantas outras que vieram prestigiar esse grande evento.”

Agora, o SIESE-SC dá continuidade aos seus trabalhos, em Outubro promove a Câmara Setorial “Como vender valor agregado em mercados sensíveis a preço” para as empresas do Oeste Catarinense, em Chapecó e no mês de novembro Joinville recebe o evento.

Grupo Viaseg no 3º Mega Salão do Imóvel de Itajaí

08 de agosto de 2016

O Grupo Viaseg estará participando do 3º Mega Salão do Imóvel em Itajaí, no Centreventos, de 11 a 14 de Agosto.

 Você é nosso convidado para conhecer as novidades que só o Grupo Viaseg oferece para o mercado de segurança de seu imóvel. Venha conferir !

A importância do sistema de CFTV

03 de agosto de 2016

 

A inexistência ou ineficiência do sistema de CFTV favorece as práticas ilícitas como, furtos, roubos, depredação, vandalismos, invasão, dentre outros, em virtude do autor do delito saber que dificilmente será identificado. Quando as práticas de delitos começam a ser corriqueiras em uma localidade, a tendência de crescentes ocorrências bem como seus agravamentos é implícita na teoria do crime. registro e visualização de pontos estratégicos pelo sistema de câmeras ampliam sobremaneira a segurança dos locais monitorados como empresas, condomínios e residências, pois permitem reconhecimentos e registram todos os fatos como ocorreram, sem que haja a necessidade de recorrer à testemunhos, que por muitas vezes não condizem a verdade, podendo-se ainda, valer como provas cíveis e criminais em situações de demandas jurídicas.

O sistema de câmeras além de permitir visualizar, monitorar e gravar imagens de diversos ambientes simultaneamente age diretamente com o fator psicológico de dissuasão, pois o possível “criminoso” sabe que está sendo vigiado e suas imagens armazenadas pelo sistema, o que inibe a ação de invasores, depredadores, pichadores e pessoas mal intencionadas em geral no ambiente monitorado.

Em se falando de fator psicológico de dissuasão, mantém afastado a ímpeto da vontade dos maus feitores, dos quais sabendo que podem ser identificados, frustram suas querências em face de exposição e possibilidades de prisão.

A importância do sistema de câmeras tem assegurado seu papel fundamental nas estratégias e políticas de segurança, seja no momento de atuar como fator psicológico de dissuasão ou como ferramenta na identificação e provas para acusação de criminosos diante do crime cometido.

Por manter a condição de visualização de imagens das diversas áreas de forma centralizada, propicia o monitoramento de vários ambientes/localidades por poucas pessoas, favorecendo o trabalho de pronta resposta, com rápida tomada de decisão para casos de emergências e crises, com custo beneficio excelente, bem como seu custo de manutenção relativamente baixo.

O sistema de câmeras além de permitir visualizar, monitorar e gravar imagens de diversos ambientes simultaneamente age diretamente com o fator psicológico de dissuasão”

Outro fator positivo ao sistema é a forma em que assegura o controle de acesso de pessoas, mercadorias e veículos, permitindo maior fiscalização dos procedimentos de segurança praticados ou não, por todas as pessoas que transitam na área monitorada.

Muitas vezes a alternativa encontrada por gestores de segurança e demais pessoas que se envolvem na prática de proteção patrimonial, para substituir a necessidade de implantação de CFTV, sem que a estratégia de proteção patrimonial seja comprometida, é acréscimo de postos de serviços de vigilância privada, que nos impactos de custos imediatos parecem menores, contudo, se observar a médio e longo prazo, a implantação do sistema de CFTV será menos onerosa e por consequência mais eficiente.

o sistema de câmeras, por mais integrado que seja a outros subsistemas, nunca irá esgotar a necessidade da presença humana em suas operações”

Acredito ainda que o sistema de câmeras, por mais integrado que seja a outros subsistemas, nunca irá esgotar a necessidade da presença humana em suas operações, pois a decisão não compete a “máquina” e sim ao profissional, o “ser humano”, que age com base no princípio da relatividade quando em respostas a situações de crises e emergências, aliado aos pilares da ética, moral e bons costumes, contudo, não se pode ignorar que sua existência torna o ambiente mais seguro e por consequência mais agradável, saudável, harmônico e mais produtivo.

 

Antonio de Barros Mello Neves é Especialista em Segurança Empresarial, com experiência profissional há mais de treze anos; Oficial da Reserva da Arma de Infantaria do Exército Brasileiro; Ex-Diretor da ABORE, Associação Brasileira dos Oficiais da Reserva do Exército – nas gestões 2002/2004 e 2008/2010; MBS – Master Business Security – Brasiliano; Instrutor de Armamento, Munição e Tiro; Exerceu atividades como: Coordenador de Proteção Patrimonial na COCA COLA FEMSA; Coordenador de Segurança e Riscos de transportes rodoviários na FOXCONN; e atualmente Coordenador de Segurança na Heineken Brasil.